Galli quer trocar figuras de cédulas do Real e substituir por personagens religiosos

Galli quer trocar figuras de cédulas do Real e substituir por personagens religiosos

Deputado membro da bancada evangélica diz que mudança visa promover resgate histórico e valorizar personalidades nacionais

REINALDO FERNANDES

Repórter

 30/10/2018 17h51 | Atualizada em 31/10/2018 08h11 2 comentarios

Galli quer trocar figuras de cédulas do Real e substituir por personagens religiosos

Reprodução/Internet

O deputado federal Victório Galli (PSL) quer mudar as figuras de animais estampadas em cédulas do Real por figuras históricas. O parlamentar protocolou nesta terça-feira (30) na Câmara Federal um pedido, citando o Ministério da Fazenda e o Banco Central (BC) para a revisão das imagens da cédula.

No texto, o parlamentar afirma que sua proposta visa promover resgate histórico e homenagear personalidades da história brasileira. As personalidades sugeridas são Dom Pedro I, Dom Pedro II, Princesa Isabel, José Bonifácio, Mário Ferreira dos Santos, Marechal Cândido Rondon, Machado de Assis, Doutor Plínio Corrêa de Oliveira e Pastor Manoel da Conceição.

“O resgate histórico de heróis nacionais nas cédulas de reais é um dos primeiros passos a serem dados pelos conservadores, em busca da valorização das tradições e de nossos heróis”, pontua.

A polêmica entorno da proposta aparece na escolha dos nomes ligados a denominações religiosas no País – Pastor José Manuel da Conceição e Doutor Plínio Corrêa de Oliveira. Manuel da Conceição entrou para a história nacional e mais restritamente, religiosa, como o primeiro brasileiro investido do ministério pastoral no século XIX. A ordenação ocorreu em 17 de dezembro de 1865, pela denominação presbiteriana. Antes de converter ao cristianismo, ele era sacerdote católico-romano.

Já o Doutor Plínio Corrêa de Oliveira foi o fundador da Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família, e Propriedade, uma organização católica  atuante com mais força no século 20, sob um lema identificado ao combate ao comunismo.

A organização tradicionalista foi fundada na década de 1960. Em 1995, ano da morte de Plínio Corrêa de Oliveira, a sociedade tinha cerca de 1,5 mil no Brasil e influenciado a criação de entidades semelhantes em outros países.

Galli é membro da bancada evangélica na Câmara Federal e reconhecido por suas propostas consideradas conservadoras. Ele também é membro da igreja Assembleia de Deus.

 

http://circuitomt.com.br/editorias/politica/134726-galli-quer-trocar-figuras-de-cedulas-do-real-e-inclui-personagens-religiosos-em-substituicao.html

 

Att

Diretoria de Comunicação do SNM