A ordem dos sagrados Moedeiros e Moedeiras

História

Sabe-se que os antigos romanos costumavam agrupar os artistas em colégios, a fim de que fossem desenvolvidas suas aptidões, medida que alcançou extraordinários resultados. Tendo sido adotada por outros povos, se estendeu até a Idade Média, quando surgiram as Corporações de Artes e Ofícios. A França reuniu, no princípio do século XII, pela primeira vez, em uma corporação, os artistas-moedeiros, a eles concedendo privilégios. Se originava aí a Corporação dos Moedeiros, que rapidamente se espalharia pela Europa. Entre seus privilégios destacavam-se a isenção a determinados impostos, o direito a tribunal próprio e a prisão especial. Eram sujeitos a Alcaides e julgados pelos mestres da moeda. Suas mulheres e famílias podiam usar sedas, e as viúvas “que estivessem em boa fama” desfrutavam , igualmente, de todos os privilégios, honrarias e exceções. “Não se lhes podia tomar roupa, nem palha, nem cevada, nem galinhas, nem lenha ou outra qualquer coisa, contra a vontade.”

Em Portugal, do qual o Brasil herdou a tradição, a Corporação dos Moedeiros teve início no reinado de D. Dinis, em 1324. Tal importância tinham as Corporações, na época, que a elas se dava o direito de participar das procissões, possuindo cada classe artística um padroeiro. Os moedeiros de Lisboa administravam a Confraria de Sant’Ana da Sé e, até os nossos tempos, os moedeiros da Casa da Moeda do Brasil têm em Sant’Ana sua padroeira, celebrando anualmente, no dia 26 de julho, seu dia.

Os componentes desta Corporação, a exemplo do que ocorria com os Cavaleiros do Rei, eram sagrados Moedeiros. O novo membro que era admitido na Corporação, prestava, de joelhos, juramento solene sobre os Santos Evangelhos, recebendo do Provedor da Instituição, o grau que lhe era conferido, através de duas leves pancadas sobre o capacete, com uma espada reta, finamente lavrada. Essas pancadas significavam “fé e lealdade” e “dedicação ao trabalho.” Essa cerimônia era denominada Sagração do Moedeiro.

Fonte: CASA DA MOEDA DO BRASIL

A diretoria do SNM saúda todos os sagragrados Moedeiros e Moedeiras de hoje, em especial pela sua data comemorativa de 26 de julho, pela sua dedicação e luta para manter a CMB como empresa pública e garantidora da soberania monetária do Brasil.

 

Att

Diretoria de Comunicação do SNM